Início » Sermões do Carnondantas » Série: Segredos para se tornar uma igreja amorosa – Sermão 3

Série: Segredos para se tornar uma igreja amorosa – Sermão 3

Start here

focoSérie: Segredos para se tornar uma igreja amorosa (Rick Warren)

Texto básico: Romanos 14 e 15

Introdução: Manter uma atmosfera harmoniosa;  Atrair como imã as pessoas; Recebe com amor os visitantes;

“Portanto recebei-vos uns aos outros, como também Cristo nos recebeu, para glória de Deus.” (Romanos 15:7)

SERMÃO 3 | A Igreja foca no que é realmente importante

Texto básico: Romanos 14.16

Aquilo que é bom para vocês não se torne objeto de maledicência. (Romanos 14:16)

Rom 14:16  Não faça nada que motive censura contra você próprio, mesmo sabendo que aquilo que você faz está certo. (Viva)

Rom 14:16 Não dêem motivo para outros falarem mal daquilo que é bom para vocês. (Católica)

Rom 14:16  Não dêem motivo para os outros falarem mal daquilo que vocês acham bom. (NTLH)

INTRODUÇÃO:

Paulo está levantando uma questão muito citada no Antigo Testamento, em Provérbios 3.3-4 vemos isso.

“Que o amor e a fidelidade jamais o abandonem; prenda-os ao redor do seu pescoço, escreva-os na tábua do seu coração. Então você terá o favor de Deus e dos homens, e boa reputação”. (Provérbios 3.3-4)

 

O caráter cristão nunca deve estar abaixo dos altos padrões morais e éticos dos evangelhos, de outra forma, provocará o desdém e a zombaria dos incrédulos, prejudicando a boa reputação do evangelho (2 Cor. 8.21; 1 Tim 3.7)

“…  pois estamos tendo o cuidado de fazer o que é correto, não apenas aos olhos do Senhor, mas também aos olhos dos homens”. (2 Coríntios 8.21)

“Também deve ter boa reputação perante os de fora, para que não caia em descrédito nem na cilada do diabo”. (1 Timóteo 3:7 )

Paulo cita nesses textos que Deus é o mais importante para nossas vidas, mas diz também que as pessoas são importantes, que nosso testemunho deve ensejar mostrar a santidade peculiar a um discípulo de Jesus.

Paulo está dizendo que a essência do cristianismo não é externa, mas interna. Ao se concentrar nas coisas que são internas – eternamente importante – podemos então colocar-se com uma série de peculiaridades externas, falhas e gafe e assim dar maus testemunhos.

Quando nos concentramos naquilo que realmente importa, nosso objetivo é agradar ao Senhor, nosso maior prazer é servir ao Senhor, não nos importamos mais com superficialidades.

Deixe-me dar-lhe um exemplo: Voltar em 1917, como os bolcheviques  agarraram as rédeas do poder através de uma revolução na Rússia, os sacerdotes da Igreja Ortodoxa estavam em um acalorado debate sobre quanto tempo as borlas deve estar em suas vestes. Eles ignoraram a revolução bolchevique, e em vez disso, dividir sua igreja discutindo sobre este assunto trivial! Através disso, eu aprendi que a maioria das igrejas não dividida em questões importantes. Eles se separaram mais triviais, tolas coisas pequenas. E Paulo está fazendo o apelo: Não seja desviado por questões menores.

 

O que fazer então para nos desfocarmos daquilo que é importante, não deixarmos que questões menores atrapalhem nossas vidas, famílias e Igreja.

1)    ENTENDA A QUEM VOCÊ SERVE

A palavra Senhor aparece na Bíblia em 6.838 versículos e 8048 vezes. A Bíblia não está interessada em provar a existência de Deus, ela diz que Deus existe e que é Senhor.

Servimos a Deus, a Ele devemos nossas vidas, nossa salvação, nossa família, nosso trabalho, nosso sustento. Ele é tudo em todos.

“Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!” (Romanos 11.36)

 

       D. A. Carson faz uma pergunta instigante: DEUS PRECISA DE NÓS? Vejamos o que a Bíblia diz:

“O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há é o Senhor do céu e da terra, e não habita em santuários feitos por mãos humanas. Ele não é servido por mãos de homens, como se necessitasse de algo, porque ele mesmo dá a todos a vida, o fôlego e as demais coisas”. (Atos 17. 24 e 25)

Você poderia até se escandalizar, mas é verdade, Deus não precisa de nós. Ele não precisa de cantores, de pastores, de nosso dinheiro etc. Ele não se sente só e espera por nós, Ele não precisa de nossa adoração. Não precisa de nada. Ele não criou o homem porque estava sozinho.

Isso não significa que Ele não nos ame e não nos corresponda, isso não significa que Ele não se deleite com nosso culto, mas faz isso não por necessidade, mas por total determinação de sua vontade e perfeição.

 

De um só fez ele todos os povos, para que povoassem toda a terra, tendo determinado os tempos anteriormente estabelecidos e os lugares exatos em que deveriam habitar. Deus fez isso para que os homens o buscassem e talvez, tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós. ‘Pois nele vivemos, nos movemos e existimos’, como disseram alguns dos poetas de vocês: ‘Também somos descendência dele’.   “Assim, visto que somos descendência de Deus, não devemos pensar que a Divindade é semelhante a uma escultura de ouro, prata ou pedra, feita pela arte e imaginação do homem.  No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam. (Atos 17. 26 a 30)

2)    QUEM VOCÊ SERVE ENTENDE VOCÊ

“Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo”. (Hebreus 2.17)

               Para que Jesus pudesse cumprir a Lei por completo e seu sacrifício fosse verdadeiro diante de Deus para redimir os homens, Jesus veio ao mundo e passou por todas as dificuldades que um homem passaria. Isso era necessário pois providenciou todos os poderes legais para oferecer o resgate ao homem pelo pecado de Adão.

Por isso Deus nos entende, Ele se fez carne e habitou entre nós, Ele passou pelo que você passa. Porém não podemos cruzar os braços e deixar de realizar a obra de Deus, mesmo sendo homem Jesus cumpriu sua missão e nos deixou os passos para seguirmos.

3)    SERVIR A DEUS REQUER SERVIR TAMBÉM A HOMENS

“… pois estamos tendo o cuidado de fazer o que é correto, não apenas aos olhos do Senhor, mas também aos olhos dos homens”. (2Coríntios 8:21)

  • O verdadeiro servo de Deus entende que ele serve a Deus e se preocupa com Ele que tudo vê, mas também é avaliado pela Igreja que quer ver em nós a maneira correta, ética e honesta com que vive a sua vida de servo.

“Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”. (Marcos 10.45)

  • Esse verso de Marcos denota sua síntese, mostra aquele evangelho que o Senhor Jesus veio ao mundo como o Único Servo (só Ele é bom, só Ele é a síntese do bem), Ele viveria e entregaria sua vida para resgatar (palavra no original grego que denota o preço para a libertação de um escravo)
  • No Novo Testamento vemos dois verbetes para o significado de SERVO: diakonos, aqui usada para demonstrar essa atitude de Jesus, bem como o serviço voluntário, movido pelo amor, de um cristão ao seu próximo. SERVO: doulos,  denota o serviço obrigatório do escravo, relacionado ao nosso procedimento dentro da comunidade cristã.
  • Quando vejo esses significados lembro-me das Palavras de Jesus quanto ao nosso trabalho:

“… e quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos”. (Marcos 10.44)

 

4)     SERVIR É MUITO MAIS QUE FAZER UMA TAREFA É FOCAR EM DEUS

“Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo”. (Filipenses 2.3)

 

  • Os maiores inimigos da Igreja é o egoísmo, a vaidade pessoal e o “complexo messiânico” (aquela tendência de querer resolver todos os problemas do mundo, e quem é contra, é inimigo).
  • Considerar o outro superior a si não significa desenvolver um complexo de inferioridade, baixa autoestima ou pieguice, mas sim por amor cristão – considerar o próximo digno de toda deferência e atendimento preferencial.

“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros”. (Romanos 12.10)

 

“Focar no que é importante é focar em Deus, quando nossa vida eclesiástica ou nossas tarefas na Igreja mudam o foco, estamos cometendo um demérito ao conceito bíblico de serviço cristão”             (Pr. Jefferson Carnon Dantas)

 

“Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”. (Marcos 10.45)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: